PARE DE TENTAR SER FELIZ

Algumas pessoas estão com a ideia de que para serem felizes, necessitam ser perfeitas em suas vidas. Precisam agradar outras pessoas, precisam se manter em relacionamentos destrutivos, ou empregos que não valorizam suas capacidades profissionais. Elas acreditam que seu ciclo de amizade tem que ser o mesmo para todo resto da vida. Existem casos onde elas acabam adotando até comportamentos destrutivos, para assim, manterem-se num determinado ciclo “social”.

A verdade é que elas limitam sua percepção de felicidade sob uma sombra chamada medo.

Imagine que no seu dia a dia, você precise tentar ser uma pessoa legal e que faz de tudo, como piadas sem graça, agradar, dizer sim quando sua vontade era dizer não… Bem, inúmeras ações que resultam apenas em uma coisa: tornar-se uma pessoa chata, tachada como “exibida”, “esnobe”, “bobinha”. Se você precisa ser uma pessoa legal, então nunca será. Assim é a felicidade, toda vez que você tenta ser feliz, só irá afundar-se mais nas expectativas convertidas em frustrações.

Talvez o problema hoje é que as pessoas estão se esforçando demais para serem felizes, apresentando sorrisos e status em suas redes sociais que não condizem com seus verdadeiros sentimentos.

A Felicidade, assim como outras emoções, não é algo que você compra ou obtém, mas algo que você desenvolve com hábitos constantes.

Vamos pensar o seguinte:

Quando você está com raiva de algo ou alguém e toma ações por impulso, acaba não se importando com as ações que toma, como as palavras que diz e com os resultados que ocorrerão, simplesmente você se deixa envolver pela emoção. São raríssimas as pessoas (tão raras que ainda não conheci nenhuma) que se questionam: Estou bravo? Estou fazendo isso certo?

Não, você está em busca de sangue. Você habita e vive a raiva. Você é a raiva.

Assim como uma pessoa confiante não se questiona se está confiante, uma pessoa feliz não se pergunta se está feliz. Ela simplesmente é.

Isso implica dizer que para ser feliz você terá que pagar um preço oculto por isso (trarei um artigo somente sobre esse tópico), para que assim, a Felicidade seja um efeito colateral de um conjunto específico de experiências de vida em andamento. Isso se confunde bastante, principalmente porque atualmente a felicidade é comercializada como uma meta em si mesma. Compre X e seja feliz. Aprenda Y e seja feliz. Mas você não pode comprar a felicidade.

FELICIDADE X PRAZER

Muitas pessoas estão buscando pela felicidade, ou pelo menos é isso que elas pensam. Na verdade, a busca é pelo prazer, em outas palavras, coisas que fazem sentir-se “feliz” por um pequeno momento: boa comida, mais sexo, mais tempo para televisão e filmes, um carro novo, festas com amigos, massagens corporais, pornografia, jogos de azar, ser mais popular e assim por diante…

É claro que todas essas coisas nos trazem uma sensação de felicidade, mas isso não significa dizer que estamos sendo felizes. Na verdade, se formos analisar a fundo, esses momentos são condicionadores para nos manter em uma zona de conforto, visto que o prazer possui efeito imediato e está correlacionado com a felicidade (por isso que você tem a falsa impressão de estar sendo feliz), mas não é causa. Quer entender melhor? Então pergunte a qualquer viciado em drogas como foi a busca pelo prazer. Pergunte a uma pessoa adúltera que destruiu sua família e perdeu seus filhos se a falsa sensação de felicidade realmente a fez feliz. Pergunte a um homem que ganhou 20kg na busca de saciar seu prazer por comida, o que ele sente.

O prazer é uma falsa felicidade. Cada vez mais pesquisas e estudos demonstram que pessoas que concentram suas energias em prazeres materiais e superficiais se tornam mais ansiosas, emocionalmente instáveis e menos felizes a um longo prazo.

O prazer é o caminho mais fácil para obter satisfação com a vida, apesar de ser necessário, jamais será o suficiente para quem deseja realmente ser feliz.

VOCÊ NÃO PRECISA DIMINUIR AS EXPECTATIVAS PARA ENCONTRAR A FELICIDADE

Para entender esse tópico, primeiramente precisamos definir o que deixa alguém feliz ou infeliz. Vamos resumir em uma fórmula:

FELICIDADE = REALIDADE – EXPECTATIVAS

É bem simples, quando a realidade da vida de alguém é maior que sua expectativa, ela se sente feliz. Quando a realidade é pior que a expectativa que ela possui, o sentimento é de infelicidade e frustração.

Uma narrativa popular, as pessoas estão ficando mais infelizes porque estão sendo direcionadas a compararem suas vidas com as de outras pessoas que ocultam todas as dificuldades e o caminho trilhado para chegarem lá. Elas vendem status, qualidade de vida e uma “felicidade” apenas como se essa tivesse surgido com um estalar de dedos.

Esse processo de comparação faz com que as expectativas em melhorar suas vidas aumentem significativamente, mas pela falta de autogestão pessoal e percepção a longo prazo, gera uma percepção de que seus esforços são inúteis, e sem resultados visíveis, o desejo de continuar torna-se baixo ou nulo. Resultado: pessoas com expectativas altas, frustradas e deprimidas. 

Vamos imaginar um jovem empresário. Ele pega suas economias, investe em um empreendimento, e nos primeiros 6 meses ele começa a gerar os resultados que esperava. Reinveste novamente, e a reação é falha ou pouco favorável as suas expectativas. Caso o mesmo não possua uma boa resiliência e uma boa autogestão de emoções, sua capacidade de manter-se com a visão positiva será substituída pelo medo e depressão. Em futuros negócios poderá até agir de forma impulsiva e ansiosa. Sobre outra perspectiva, com resiliência e autogestão emocional, o mesmo será capaz de aprender com seus erros, orgulhar-se de seus feitos e gerar novas estratégias que o ajudem a alcançar seus objetivos.  

A grande questão aqui é entender que independente dos seus objetivos, você não precisa diminuir suas expectativas, mas desenvolver competências que o ajudarão a continuar seguindo quando o fracasso tornar-se presente em sua jornada (e irá se torna…).

O verdadeiro fracasso é não ser capaz de apreciar todas as dificuldades e o crescimento que elas proporcionarão em sua vida.

Então, como dica, aumente suas expectativas. Crie uma lista de tarefas, construa padrões para colocá-las em prática, fracasse e saboreie cada experiência vivenciada. Aprenda com isso. Viva isso. Deixe o chão rachar e as pedras ruírem ao seu redor, porque é assim que algo incrível cresce através das rachaduras.

SER POSITIVO NÃO É O MESMO QUE SER FELIZ

Possivelmente você conheça alguém que sempre parece bem feliz, chega a ser até insano o tamanho da felicidade que ele demonstra, isso porque ele está ali sempre sorrindo e de bem com a vida independente da circunstância ou da situação. O que você talvez não saiba, é que possivelmente venha a ser a pessoa mais disfuncional que você conheça.

Veja bem, pessoas que negam emoções negativas, principalmente de forma profunda e prolongada acabam demonstrando uma disfunção emocional mais intensa. Imagine um balão de ar. Agora imagine que você está enchendo-o com muita raiva, frustração, desapontamento e mais raiva. Chegará um momento que o balão já não aguentará a pressão submetida… Paaah! Ações ruins acontecerão.

É uma realidade simples: Coisas ruins acontecem. Outras dão erradas. Pessoas nos chateiam. Erros são cometidos e emoções negativas surgem. E o que fazer? Primeiro entenda que está tudo bem, afinal emoções negativas são necessárias e saudáveis para manter uma felicidade de forma estável na vida de alguém (Inclusive a sua).

O truque por atrás das emoções negativas é:

  • Expressá-las de maneira socialmente aceitável e saudável;
  • Expressá-la de uma maneira que alinhe com seus valores.

Em outras palavras, digamos que você seja tentado a dar um soco em alguém, mas não valoriza briga, logo seu valor é não ser uma pessoa violenta. Sendo assim, expresse sua raiva, diga o que você gostaria de dizer, mas afaste-se como uma forma de gerenciar sua reação à agressão. Eu sei que parece até impossível, mas tudo parte para uma questão de autogerenciamento emocional. E lembre-se, o sucesso em qualquer coisa que faça está escondido atrás de coisas difíceis. 

Há muitas pessoas por aí que adotam a ideologia “seja sempre positivo”. Evite-as! Mantenha tanta distância desse tipo de pessoas, como você mantêm daquelas que dizem que o mundo já pode acabar e que nada nessa vida presta. E se seu padrão de felicidade é dizer que você está sempre feliz, então você precisa de um choque de realidade para rever esse padrão. Viver é experimentar os dois dados da moeda, os momentos bons e os ruins. Caso contrário, onde estaria a graça?

FELICIDADE É O PROCESSO PARA SE TORNAR O SEU EU IDEAL

Poder acompanhar pessoas superando dificuldades pessoais como medo, ansiedade, procrastinação, peso elevado, relacionamento tóxico, baixa de energia e produtividade em sua carreira, entre muitas outras, faz-me observar onde realmente encontra-se a felicidade: EM TORNAR-SE UMA PESSOA MELHOR.

Atingir uma meta, ou quem sabe chegar no final de uma maratona nos faz mais felizes do que comer um bolo de chocolate ou um pote de sorvete. Construir ou reformar uma casa conforme nossa escolha, nos deixa mais felizes do que gastar o dinheiro com festas e bebidas. E os nossos filhos? Poder ver nossos filhos seguindo nossos valores e buscando ler um livro em vez de joguinho no celular, é sem explicação. Abrir um negócio e ver toda jornada que teremos que trilhar nos faz mais felizes do que comprar um carro novo. Não é à toa que definimos o que é prioritário em nossas vidas.

O mais engraçado é que, muitas vezes, o que nos faz mais felizes é exatamente aquelas que exigem maior dedicação e são, em grande maioria, desagradáveis. Estão ligadas a dor, luta, disciplina, congruência em nossas ações, raiva e desespero. Mas o mais mágico é que, quando fazemos uma vez e olhamos que nos movemos, por menor que seja o passo, nos orgulhamos pela evolução e nos emocionamos.

E sabe por quê?

Porque são esses tipos de ações que nos permitem sermos a melhor versão de nós mesmos. É a busca eterna de alcançar nosso eu ideal que nos concede felicidade, independentemente de prazeres superficiais ou dor, independentemente de emoções positivas ou negativas. É por isso que algumas pessoas são felizes na guerra e outras são tristes nos casamentos. É por isso que alguns estão animados para trabalhar e outros odeiam festas. As características que eles habitam não se alinham com o seu eu ideal.

É importante que você entenda que os resultados finais não definem nosso eu ideal. Não é terminar a maratona que nos faz felizes; mas estar avançando em meio a um objetivo difícil de longo prazo. Não é o prestígio e o dinheiro nos empreendimentos que nos faz felizes, é o processo de superar as dificuldades e impossibilidades e ainda contribuir com a sociedade.

É por isso que tentar ser feliz inevitavelmente o deixará infeliz. Porque tentar ser feliz implica que você ainda não está habitando o seu eu ideal, não está alinhado com as qualidades de quem deseja ser. Afinal, se você estivesse agindo como se fosse ideal, não sentiria a necessidade de tentar ser feliz.

Sugira declarações sobre “encontrar a felicidade interior” e “saber que você é o suficiente”. Não é que a própria felicidade esteja em você, é que a felicidade ocorre quando decide buscar o que há em você. É por isso que a felicidade é tão passageira. Qualquer pessoa que estabeleça objetivos importantes de vida para alcançar e sinta a mesma quantidade relativa de felicidade/infelicidade, sabe que a felicidade sempre parece estar ao virar da esquina, apenas esperando que você apareça. Não importa onde você esteja na vida, sempre haverá mais uma coisa que você precisa fazer para se tornar mais feliz.

E isso porque nosso eu ideal está sempre ao virar da esquina, sempre três passos a nossa frente. Imagine que seu sonho é ser um músico, ao alcançar, sonhamos de escrever uma trilha sonora, e quando conseguimos escrever uma trilha sonora, sonhamos em escrever um roteiro. E o que importa não é que alcancemos cada um desses picos de sucesso, mas que estamos sempre caminhando em direção a eles, dia após dia, mês após mês, ano após ano. Os obstáculos vão e vêm, e continuaremos seguindo o nosso eu ideal no caminho de nossas vidas.

Para finalizar, no que diz respeito à busca da felicidade, o melhor conselho também é o mais simples: imagine quem você quer ser e depois aja massivamente para se tornar essa pessoa. Sonhe de forma gigantesca e depois faça alguma coisa. Qualquer coisa. O simples ato de mudar, transformará a forma como você se sente sobre todo o processo e servirá para inspirá-lo ainda mais.

Forte abraço e simbora!

Josafá Nobre

Revisado por: Ieda Galvão

2 respostas para “PARE DE TENTAR SER FELIZ”

  1. Bom dia, li todo o documento, sábias palavras, muito obrigado meu amigo. Sucesso e felicidade para nós todos. ^^

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s