PARE DE TENTAR SER FELIZ

Algumas pessoas estão com a ideia de que para serem felizes, necessitam ser perfeitas em suas vidas. Precisam agradar outras pessoas, precisam se manter em relacionamentos destrutivos, ou empregos que não valorizam suas capacidades profissionais. Elas acreditam que seu ciclo de amizade tem que ser o mesmo para todo resto da vida. Existem casos onde elas acabam adotando até comportamentos destrutivos, para assim, manterem-se num determinado ciclo “social”.

A verdade é que elas limitam sua percepção de felicidade sob uma sombra chamada medo.

Imagine que no seu dia a dia, você precise tentar ser uma pessoa legal e que faz de tudo, como piadas sem graça, agradar, dizer sim quando sua vontade era dizer não… Bem, inúmeras ações que resultam apenas em uma coisa: tornar-se uma pessoa chata, tachada como “exibida”, “esnobe”, “bobinha”. Se você precisa ser uma pessoa legal, então nunca será. Assim é a felicidade, toda vez que você tenta ser feliz, só irá afundar-se mais nas expectativas convertidas em frustrações.

Talvez o problema hoje é que as pessoas estão se esforçando demais para serem felizes, apresentando sorrisos e status em suas redes sociais que não condizem com seus verdadeiros sentimentos.

A Felicidade, assim como outras emoções, não é algo que você compra ou obtém, mas algo que você desenvolve com hábitos constantes.

Vamos pensar o seguinte:

Quando você está com raiva de algo ou alguém e toma ações por impulso, acaba não se importando com as ações que toma, como as palavras que diz e com os resultados que ocorrerão, simplesmente você se deixa envolver pela emoção. São raríssimas as pessoas (tão raras que ainda não conheci nenhuma) que se questionam: Estou bravo? Estou fazendo isso certo?

Não, você está em busca de sangue. Você habita e vive a raiva. Você é a raiva.

Assim como uma pessoa confiante não se questiona se está confiante, uma pessoa feliz não se pergunta se está feliz. Ela simplesmente é.

Isso implica dizer que para ser feliz você terá que pagar um preço oculto por isso (trarei um artigo somente sobre esse tópico), para que assim, a Felicidade seja um efeito colateral de um conjunto específico de experiências de vida em andamento. Isso se confunde bastante, principalmente porque atualmente a felicidade é comercializada como uma meta em si mesma. Compre X e seja feliz. Aprenda Y e seja feliz. Mas você não pode comprar a felicidade.

FELICIDADE X PRAZER

Muitas pessoas estão buscando pela felicidade, ou pelo menos é isso que elas pensam. Na verdade, a busca é pelo prazer, em outas palavras, coisas que fazem sentir-se “feliz” por um pequeno momento: boa comida, mais sexo, mais tempo para televisão e filmes, um carro novo, festas com amigos, massagens corporais, pornografia, jogos de azar, ser mais popular e assim por diante…

É claro que todas essas coisas nos trazem uma sensação de felicidade, mas isso não significa dizer que estamos sendo felizes. Na verdade, se formos analisar a fundo, esses momentos são condicionadores para nos manter em uma zona de conforto, visto que o prazer possui efeito imediato e está correlacionado com a felicidade (por isso que você tem a falsa impressão de estar sendo feliz), mas não é causa. Quer entender melhor? Então pergunte a qualquer viciado em drogas como foi a busca pelo prazer. Pergunte a uma pessoa adúltera que destruiu sua família e perdeu seus filhos se a falsa sensação de felicidade realmente a fez feliz. Pergunte a um homem que ganhou 20kg na busca de saciar seu prazer por comida, o que ele sente.

O prazer é uma falsa felicidade. Cada vez mais pesquisas e estudos demonstram que pessoas que concentram suas energias em prazeres materiais e superficiais se tornam mais ansiosas, emocionalmente instáveis e menos felizes a um longo prazo.

O prazer é o caminho mais fácil para obter satisfação com a vida, apesar de ser necessário, jamais será o suficiente para quem deseja realmente ser feliz.

VOCÊ NÃO PRECISA DIMINUIR AS EXPECTATIVAS PARA ENCONTRAR A FELICIDADE

Para entender esse tópico, primeiramente precisamos definir o que deixa alguém feliz ou infeliz. Vamos resumir em uma fórmula:

FELICIDADE = REALIDADE – EXPECTATIVAS

É bem simples, quando a realidade da vida de alguém é maior que sua expectativa, ela se sente feliz. Quando a realidade é pior que a expectativa que ela possui, o sentimento é de infelicidade e frustração.

Uma narrativa popular, as pessoas estão ficando mais infelizes porque estão sendo direcionadas a compararem suas vidas com as de outras pessoas que ocultam todas as dificuldades e o caminho trilhado para chegarem lá. Elas vendem status, qualidade de vida e uma “felicidade” apenas como se essa tivesse surgido com um estalar de dedos.

Esse processo de comparação faz com que as expectativas em melhorar suas vidas aumentem significativamente, mas pela falta de autogestão pessoal e percepção a longo prazo, gera uma percepção de que seus esforços são inúteis, e sem resultados visíveis, o desejo de continuar torna-se baixo ou nulo. Resultado: pessoas com expectativas altas, frustradas e deprimidas. 

Vamos imaginar um jovem empresário. Ele pega suas economias, investe em um empreendimento, e nos primeiros 6 meses ele começa a gerar os resultados que esperava. Reinveste novamente, e a reação é falha ou pouco favorável as suas expectativas. Caso o mesmo não possua uma boa resiliência e uma boa autogestão de emoções, sua capacidade de manter-se com a visão positiva será substituída pelo medo e depressão. Em futuros negócios poderá até agir de forma impulsiva e ansiosa. Sobre outra perspectiva, com resiliência e autogestão emocional, o mesmo será capaz de aprender com seus erros, orgulhar-se de seus feitos e gerar novas estratégias que o ajudem a alcançar seus objetivos.  

A grande questão aqui é entender que independente dos seus objetivos, você não precisa diminuir suas expectativas, mas desenvolver competências que o ajudarão a continuar seguindo quando o fracasso tornar-se presente em sua jornada (e irá se torna…).

O verdadeiro fracasso é não ser capaz de apreciar todas as dificuldades e o crescimento que elas proporcionarão em sua vida.

Então, como dica, aumente suas expectativas. Crie uma lista de tarefas, construa padrões para colocá-las em prática, fracasse e saboreie cada experiência vivenciada. Aprenda com isso. Viva isso. Deixe o chão rachar e as pedras ruírem ao seu redor, porque é assim que algo incrível cresce através das rachaduras.

SER POSITIVO NÃO É O MESMO QUE SER FELIZ

Possivelmente você conheça alguém que sempre parece bem feliz, chega a ser até insano o tamanho da felicidade que ele demonstra, isso porque ele está ali sempre sorrindo e de bem com a vida independente da circunstância ou da situação. O que você talvez não saiba, é que possivelmente venha a ser a pessoa mais disfuncional que você conheça.

Veja bem, pessoas que negam emoções negativas, principalmente de forma profunda e prolongada acabam demonstrando uma disfunção emocional mais intensa. Imagine um balão de ar. Agora imagine que você está enchendo-o com muita raiva, frustração, desapontamento e mais raiva. Chegará um momento que o balão já não aguentará a pressão submetida… Paaah! Ações ruins acontecerão.

É uma realidade simples: Coisas ruins acontecem. Outras dão erradas. Pessoas nos chateiam. Erros são cometidos e emoções negativas surgem. E o que fazer? Primeiro entenda que está tudo bem, afinal emoções negativas são necessárias e saudáveis para manter uma felicidade de forma estável na vida de alguém (Inclusive a sua).

O truque por atrás das emoções negativas é:

  • Expressá-las de maneira socialmente aceitável e saudável;
  • Expressá-la de uma maneira que alinhe com seus valores.

Em outras palavras, digamos que você seja tentado a dar um soco em alguém, mas não valoriza briga, logo seu valor é não ser uma pessoa violenta. Sendo assim, expresse sua raiva, diga o que você gostaria de dizer, mas afaste-se como uma forma de gerenciar sua reação à agressão. Eu sei que parece até impossível, mas tudo parte para uma questão de autogerenciamento emocional. E lembre-se, o sucesso em qualquer coisa que faça está escondido atrás de coisas difíceis. 

Há muitas pessoas por aí que adotam a ideologia “seja sempre positivo”. Evite-as! Mantenha tanta distância desse tipo de pessoas, como você mantêm daquelas que dizem que o mundo já pode acabar e que nada nessa vida presta. E se seu padrão de felicidade é dizer que você está sempre feliz, então você precisa de um choque de realidade para rever esse padrão. Viver é experimentar os dois dados da moeda, os momentos bons e os ruins. Caso contrário, onde estaria a graça?

FELICIDADE É O PROCESSO PARA SE TORNAR O SEU EU IDEAL

Poder acompanhar pessoas superando dificuldades pessoais como medo, ansiedade, procrastinação, peso elevado, relacionamento tóxico, baixa de energia e produtividade em sua carreira, entre muitas outras, faz-me observar onde realmente encontra-se a felicidade: EM TORNAR-SE UMA PESSOA MELHOR.

Atingir uma meta, ou quem sabe chegar no final de uma maratona nos faz mais felizes do que comer um bolo de chocolate ou um pote de sorvete. Construir ou reformar uma casa conforme nossa escolha, nos deixa mais felizes do que gastar o dinheiro com festas e bebidas. E os nossos filhos? Poder ver nossos filhos seguindo nossos valores e buscando ler um livro em vez de joguinho no celular, é sem explicação. Abrir um negócio e ver toda jornada que teremos que trilhar nos faz mais felizes do que comprar um carro novo. Não é à toa que definimos o que é prioritário em nossas vidas.

O mais engraçado é que, muitas vezes, o que nos faz mais felizes é exatamente aquelas que exigem maior dedicação e são, em grande maioria, desagradáveis. Estão ligadas a dor, luta, disciplina, congruência em nossas ações, raiva e desespero. Mas o mais mágico é que, quando fazemos uma vez e olhamos que nos movemos, por menor que seja o passo, nos orgulhamos pela evolução e nos emocionamos.

E sabe por quê?

Porque são esses tipos de ações que nos permitem sermos a melhor versão de nós mesmos. É a busca eterna de alcançar nosso eu ideal que nos concede felicidade, independentemente de prazeres superficiais ou dor, independentemente de emoções positivas ou negativas. É por isso que algumas pessoas são felizes na guerra e outras são tristes nos casamentos. É por isso que alguns estão animados para trabalhar e outros odeiam festas. As características que eles habitam não se alinham com o seu eu ideal.

É importante que você entenda que os resultados finais não definem nosso eu ideal. Não é terminar a maratona que nos faz felizes; mas estar avançando em meio a um objetivo difícil de longo prazo. Não é o prestígio e o dinheiro nos empreendimentos que nos faz felizes, é o processo de superar as dificuldades e impossibilidades e ainda contribuir com a sociedade.

É por isso que tentar ser feliz inevitavelmente o deixará infeliz. Porque tentar ser feliz implica que você ainda não está habitando o seu eu ideal, não está alinhado com as qualidades de quem deseja ser. Afinal, se você estivesse agindo como se fosse ideal, não sentiria a necessidade de tentar ser feliz.

Sugira declarações sobre “encontrar a felicidade interior” e “saber que você é o suficiente”. Não é que a própria felicidade esteja em você, é que a felicidade ocorre quando decide buscar o que há em você. É por isso que a felicidade é tão passageira. Qualquer pessoa que estabeleça objetivos importantes de vida para alcançar e sinta a mesma quantidade relativa de felicidade/infelicidade, sabe que a felicidade sempre parece estar ao virar da esquina, apenas esperando que você apareça. Não importa onde você esteja na vida, sempre haverá mais uma coisa que você precisa fazer para se tornar mais feliz.

E isso porque nosso eu ideal está sempre ao virar da esquina, sempre três passos a nossa frente. Imagine que seu sonho é ser um músico, ao alcançar, sonhamos de escrever uma trilha sonora, e quando conseguimos escrever uma trilha sonora, sonhamos em escrever um roteiro. E o que importa não é que alcancemos cada um desses picos de sucesso, mas que estamos sempre caminhando em direção a eles, dia após dia, mês após mês, ano após ano. Os obstáculos vão e vêm, e continuaremos seguindo o nosso eu ideal no caminho de nossas vidas.

Para finalizar, no que diz respeito à busca da felicidade, o melhor conselho também é o mais simples: imagine quem você quer ser e depois aja massivamente para se tornar essa pessoa. Sonhe de forma gigantesca e depois faça alguma coisa. Qualquer coisa. O simples ato de mudar, transformará a forma como você se sente sobre todo o processo e servirá para inspirá-lo ainda mais.

Forte abraço e simbora!

Josafá Nobre

Revisado por: Ieda Galvão

FAÇA ALGO OU CONTINUE RECLAMANDO!

Eu já fui um tipo de pessoa que passei dias, horas e segundos esperando por uma mudança milagrosa na minha vida. Apesar da minha conexão especial com Deus, percebi que a mensagem que Ele me enviava, e talvez a mais importante da minha vida, era: “Você é o meu milagre, aja para que as mudanças que deseja viver sejam o seu milagre”.

Em outras palavras, estamos sempre esperando uma solução fácil para nossos problemas, para as mudanças que desejamos viver. A verdade que somos nossos próprios milagres. Assim como por um lado somos o milagre que queremos em nossas vidas, por outro, somos o abismo que separa nossos sonhos de serem realizados. E como podemos vencer ou ultrapassar esse abismo? Agindo! A ação é a ponte que separa ambas extremidades. 

Eu acredito fielmente que a ação é a geradora da verdadeira motivação, principalmente para aquelas pessoas que não tem a mínima ideia do que fazer das suas vidas e do problema que surge a cada passo ou decisão tomada!

O preocupante é que uma grande parte das pessoas só querem fazer algo em suas vidas se tiverem um motivo gigantesco para isso.  Elas estão erradas! Através desse medíocre pensamento, elas vivem em uma zona de conforto, sem propósito e resultados nenhum. E é exatamente quando tudo aperta, que essas pessoas buscam mudar algo na vida… Você concorda? Você consegue lembrar do momento mais difícil que sofreu em sua vida e que exigiu que mudasse algo? Quais ações você teve que realizar de uma forma radical e rápida para mudar essa situação? Compartilhe comigo aqui nos comentários.

Quando vinculamos nossas ações à necessidade de nos sentirmos motivados, o resultado que conseguimos é o oposto. Se você não tem um sentimento que o faça agir, como e quando você agirá?

Pense comigo, quando acordamos pela manhã nem sempre estamos motivados a sair da cama e iniciar o dia, mas quando levantamos e praticamos alguns dos rituais matutinos, ficamos mais animados e sem aquela sensação de sono (Sim, eu sei que nem sempre… rsrsr).

O fato é que, a mínima ação, possuí um poder gigantesco de despertá-lo, e motivá-lo a atingir sonhos incríveis. Por isso é tão importante saber agir independe do nível de motivação que você tenha em um determinado momento.

Indo direto ao ponto:

Se você quer corrigir um relacionamento desgastado, sentimentos como raiva e mágoas irão inibir a sua motivação para agir perdoando ou dando o primeiro passo, que consequentemente, propiciaria sentimentos, como conforto e habilidades para uma boa comunicação. Se seu caso fosse perder muito peso, por exemplo, uns 10 a 15 kg, sentimentos como vergonha ou rejeição, ou até aquela sensação de crítica fariam com que se desmotivasse, principalmente se for uma pessoa que se importa muito com opiniões de terceiros, perdendo, portanto, a oportunidade de sentir-se com mais autoestima e energia conforme percebesse as mudanças em seu corpo.

Traumas passados, expectativas negativas e sentimento como medo e até culpa nos afastam de resultados extraordinários, que seriam facilmente conquistados se agíssemos para conectar nossos objetivos as nossas ações. Entretanto, cada vez que lançamos nossos objetivos na necessidade de nos motivar, entramos numa espiral negativa de sentimentos e desmotivação. Resultado? Zona de conforto e zeroooo desenvolvimento!

Pense assim, se você tem um objetivo e deseja alcançá-lo mas não sente algo forte o suficiente que o faça caminhar em sua direção, apenas dê um pequeno passo. Os mínimos resultados que surgirão a cada passo executado o motivará a dar mais outro passo, que gerará um novo resultado, e por consequência, novos passos… E assim por diante. Isso é motivação na prática! É sua capacidade de agir que gera motivação e não ao contrário.

O grande divisor de águas entre ação, resultados e a motivação que talvez você tanto busca é a coragem. Ela o impulsiona a agir e dar o passo inicial que o levará para fora da sua zona de conforto.

A conclusão que você deve ter, ou pelo menos espero que pense bem sobre isso, é que se não souber o que fazer, faça qualquer coisa. Errando você aprenderá e terá a necessidade de corrigir, se acertar terá o desejo de prosseguir.

Eu experimentei muito disso nesses anos de descoberta e desenvolvimento. Tinha alguns objetivos e me mantinha perdido de como executá-los, comecei estudando algo, depois fazendo um curso, depois aplicando o conteúdo, depois aprendendo o que não dominava, depois tracei objetivos mais ousados, conquistei os primeiros resultados e hoje me sinto verdadeiramente imparável em relação aos resultados da minha vida.

Faça uma experiência você também, comece andando um pouco, escrevendo algo que sempre desejou, ou recebendo alguns “nãos”… Outros “sins”… Bem, faça alguma coisa ou não faça nada, garanto que em ambos os casos você terá um resultado, mas qual deles fará a diferença em sua vida? Essa eu deixo você decidir. Simboraaa!

Gratidão! Atenciosamente,

Josafá Nobre

Revisado por: Ieda Galvão

O GRANDE DILEMA: RAZÃO OU EMOÇÃO

Imagine um momento onde você ficou se perguntando ou já ouviu alguém falando: “Será que estou deixando meu coração falar mesmo sabendo que é ilusão?” ou “Nossa, fui demitido agora não sei mais o que fazer!”. Quem sabe você mesmo não recebeu uma oportunidade que mudaria sua vida, mas a incerteza fez com que desistisse ou deixasse passar.

A verdade é que todos nós, ricos ou pobres, feios ou bonitos, famosos ou desconhecidos, possuímos momentos de incertezas. O problema está quando nos prendemos a pensamentos medíocres que nos deixam vulneráveis através do medo e crenças limitadoras, dificultando as decisões e enchendo ainda mais nossa cabeça de dúvidas, e dependendo da intensidade, poderá fazer com que ajamos de forma impulsiva e prejudicial a nós mesmos.

Imagine grandes nomes como Nelson Mandela. O mesmo passou 27 anos na prisão focando em seu sonho, que visava uma África do Sul livre. Mas, o que teria acontecido se o mesmo tivesse permitido que o medo ou crenças de incapacidade o deixasse dominar durante esse período que esteve preso? Possivelmente, a África do Sul teria perdido o seu maior simbolo de luta e liberdade. O fato é que o medo, ego e a geração de possíveis cenários dolorosos tira das pessoas a capacidade de pensar claramente sobre a forma de como resolver variados tipos de problema ou situações, mantendo suas vidas em uma verdadeira prisão, a do arrependimento e da incapacidade. Já aqueles que conseguem dominar esse estado emocional, permanecem livres, ainda que presos.

Pensamento de incapacidade ou de empoderamento, não é algo presente apenas em pessoas que exercem papéis de prestígio e liderança. Eles estão dia a dia enraizados na vida do(s) seu(s) vizinho(s), irmão(ã), companheiro(a), ou alguém próximo ou querido seu. E claro, em você! Tais pensamento, que gosto de destacar como comportamentos encobertos, quando unidos a outros fatores externos podem conduzi-lo(a) ao deslumbre de um propósito de vida incrível ou levá-lo(a) ao lado obscuro da sua vida, tirando sua capacidade proativa e gerando até algumas doenças mentais como a  própria depressão (Lembro que o processo de depressão está ligado a inúmeros fatores que devem ser analisados e tratados prioritariamente).

Quando nos encontramos presos aos problemas, caímos no paradigma da incerteza e ficamos nos martirizando sobre o que fazer ou como conduzir nossas vidas. O grande “X” da questão é quando somos cegados pelas mensagens fornecidas pelo nosso lado lógico ou pelas nossas emoções. Afinal, a quem dar ouvidos?

Talvez você seja influenciado pelo Orgulho, talvez você use de sua experiência para formar suas opiniões, talvez você faça uma análise lógica e seja guiado pela razão, ou simplesmente você compre o desafio e viva conforme o seu coração.

Mas afinal, no universo das incertezas, a quem dar ouvidos?

Sobre alguns acontecimentos em nossas vidas, sempre tentamos resolver de forma lógica e racional, ou impulsiva, com as emoções à flor da pele.

Nesse momento, agimos imprudentemente deixando passar a voz que grita de forma insistente em nosso interior: “Persista!”, “Tente”, “Só mais um pouco!”, “Sua vida vale mais!”, “Esse é o seu sonho, por que pensar em desistir agora?”. Normalmente essas vozes sempre impulsionam nossa capacidade de agir para resolver uma determinada situação, ou buscar algo que sempre imaginamos não sermos capazes.

Então para que você possa tomar decisões assertivas, lidando com a grande questão da vida, que é decifrar a quem dar ouvidos, razão vs emoção, vou compartilhar com você 4 dicas básicas que o ajudará nesse processo. Vamos lá?

DICA 1:

APROVEITE O PODER DA INCERTEZA

A incerteza é algo incrível. Assustadora, mas incrível!

Veja só, quando algo acontece em sua vida e o tira sua zona de conforto, ou melhor, muda toda sua estrutura, automaticamente você tende a ficar um pouco perdido nos seus pensamentos, imaginando inúmeras situações, e, dependendo do direcionamento que você dê, poderá entrar na espiral negativa que tratei no início dessa nossa conversa.

Por outro lado, quando você usa esse tempo para imaginar inúmeras oportunidades positivas para resolver essa situação, sua capacidade criativa é ativada. Dessa forma, você passa a dar origens a inúmeros caminhos e cada caminho uma possibilidade de experimentar algo em sua vida.

Mas como escolher entre esses inúmeros caminhos?

Você já sabe que prego com todas as forças que para ser melhor e performer, é necessário criar experiências proporcionando aprendizados que devem estar de acordo com seus devidos valores e interesses. Caso contrário você só irá fracassar.

É exatamente por isso que todas as decisões difíceis estão ligadas àquilo que você valoriza. Em outras palavras, para você descobrir qual direção tomar é necessário você descrever o que deseja ter em sua vida. Sobre essa percepção você passa a selecionar aonde ir ou não. O grande vilão está no imediatismo, o qual tem um poder enorme de suprimir seus valores e mensagens de afirmação (aquelas vozes do coração). É do ser humano não focar a longo prazo, mas, no que se pode ter de forma instantânea. Infelizmente é caso raro quando o imediatismo promove sucesso e felicidade.

Sua vida, minha vida e a de todas as pessoas é cheia de incertezas. Assim como um labirinto, sempre caminhamos em busca de nossos sonhos. Algumas vezes teremos que avançar e recuar, para isso usamos recursos lógicos. Mas também precisaremos persistir e avançar mesmo com medo, usando recursos emocionais.

DICA 2:

USE SUA PLAYLIST EMOCIONAL

Ao estudar ou passar por um processo de inteligência emocional, você aprende a desenvolver competências que te permitem ser mais capaz de controlar seus impulsos e o modo como lida com as situações. Ser emocionalmente inteligente é ser capaz de conduzir suas decisões e ações de forma clara e eficaz em busca de potencializar resultados dentro da sua vida.

Particularmente com o passar do tempo, estudando profundamente o comportamento humano, crenças e paradigmas enfraquecedores e fortalecedores, aprendi que ser Inteligente Emocional é uma questão de percepção e seleção sem julgamentos pré-estabelecidos.

Imagine agora uma playlist com suas músicas prediletas. Certamente você possui músicas para todos os momentos, aquelas para os dias tristes, felizes, apaixonantes, ou momentos de meditação… Bem, inúmeras alternativas, certo? Assim é a sua mente! Nela possuímos uma lista de situações que nos desperta sempre reflexões, o problema é que lá elas acabam sendo comparadas a experiências e momentos que já vivenciamos. Caso esses momentos tenham sido de sucesso, provavelmente você dará ouvidos (sem questionar) a qualquer afirmação que o motive a insistir e ir o mais longe possível. Em outro momento, se ao longo da sua vida você vivenciou muitas situações frustrantes e de insucesso, por mais que hajam afirmações e aquele sentimento fulminante pedindo para você fazer algo a respeito, sua atenção será para qualquer voz que limite suas ações.

Uma maneira de você identificar, por exemplo, um pensamento limitador que resultará num comportamento prejudicial, é lembrar de uma situação que você possuiu algum tipo de medo, possivelmente existe um trauma que gerou uma barreira, onde ao encontrar padrões similares nos acontecimentos, rapidamente você tende a desistir ou hesitar em agir.

Você pode estar pensando: “Ok, faz sentido… Mas como uso a minha PlayList Emocional?”. Simples, pequeno “Skywalker”. Lembra do que falei no início dessa dica? Não?! Refrescando sua memória, eu disse que ser emocionalmente inteligente é uma questão de percepção e seleção. Portanto, você precisa fazer é selecionar o que precisa sentir, dentro da sua PlayList. Talvez ao invés do medo você gostaria de sentir coragem, por exemplo. Feito isso, condicione sua estrutura comportamental para afirmar insistentemente: “Sim, eu posso, eu sou capaz!”

DICA 3:

PERFORME SUA VIDA PARA TER MENOS ARREPENDIMENTO

O arrependimento é conhecido como uma emoção “racional” pela maioria dos psicólogos. No meu caso, não sou muito “de acordo” com esse pensamento. Veja só, quando você toma alguma decisão, que mexe diretamente com seus valores quebrando suas regras/padrões pessoais do que é certo ou errado, você sente-se arrependido. Esta emoção, ao longo do processo, gera reflexão (racionalização) sobre a situação em questão. Sendo assim, primeiro você sente para depois fazer seu julgamento pessoal.

Ao tomar decisões, muitas vezes consideramos as opções disponíveis para nós, imaginamos nosso futuro e depois escolhemos qual deles iremos seguir e experimentar. Geralmente realizamos diversas simulações mentais dos possíveis acontecimentos, mas nunca nos questionando sobre as possíveis situações de fracasso. O que seria um passo muito útil para minimizar a dor e o medo de futuros passos.

O processo é simples, quando for agir sobre algo em sua vida, imagine a situação onde tudo foi por água abaixo e se pergunte: “Eu me arrependeria desse fracasso?”. Se a resposta for NÃO, então é um risco que deve ser experimentado. Uma forma racional de decidir sobre algo que seu coração pede, e ainda evitaria mais situações de fracasso do que sucesso. Fica a dica! =)

DICA 4:

ESCREVA SUAS DÚVIDAS EM UM PAPEL

Muitas pessoas subestimam o poder da escrita para tomada de decisões. Quando estamos submetidos a um dilema entre razão x emoção, a melhor forma de clarear as ideias é fazer uma autointervenção.

O ato de escrever te conduz a organizar e estabilizar toda turbulência emocional que circula em seu cérebro. Sentimentos vagos tornam-se estruturados, medidos. Suas autocontradições são expostas, revelando novas alternativas que você não havia considerado.

E quando assunto é tomar decisões, você pode usar esses questionamentos:

Quais são os custos e benefícios? Sobre sua antiga decisão, faça uma lista de prós e contras e inclua seus possíveis arrependimentos.

Qual a motivação por trás dessa decisão? Descreva qual experiência deseja obter com essa decisão. Além de um convite para ação, será uma forma de você analisar quais resultados obteria com ela.

Estou disposto a colher os frutos a longo prazo? Como já falei, o ser humano é imediatista, cabe a você saber se valeria a pena trabalhar o foco e a paciência a longo prazo. Lembro que nada acontece da noite para o dia!


Este é apenas um caso de um atendimento que fiz e acabamos construindo essa tabela. Alguns dados foram ocultados, mas o idealizador topou o desafio e hoje vive do seu negócio próprio.
 
E você, como irá tomar decisões a partir desse momento? Forte abraço! Simboraaaaaa!

Josafá Nobre

Revisado por: Ieda Galvão | Instagram: @iedagalvão

COMECE COM PEQUENOS PADRÕES

7 A CADA 10 PESSOAS BUSCAM POR UMA MUDANÇA EXTRAORDINÁRIA EM SUAS VIDAS, MAS NADA MUDAM.

Como assim, 7 a cada 10 pessoas buscam por mudanças “extraordinárias” em suas vida? Você está dizendo que as 3 pessoas restantes não?

Não, não estou dizendo isso! Talvez se introduzisse da seguinte forma: 3 A CADA 10 PESSOAS CONSEGUEM MUDANÇAS EXTRAORDINÁRIAS EM SUAS VIDAS, você não estaria preso a esse detalhe, pois meu interesse é falar das 7 pessoas que tentam e tentam, mas não conseguem resultados nenhum (das outras 3 falaremos mais à frente).

Bem, para falar sobre esse assunto com você, quero trazer uma situação chave que foi um ponto de virada para todas as mudanças e conquistas que obtive em minha vida (e continuo obtendo). Lembro que há alguns anos buscava conquistar resultados incríveis, mas eu apenas objetivava o que um dia poderia vir a ser e não o que seria necessário fazer para chegar lá.

Como você já deve imaginar, fracassei por várias vezes até um dia perceber que a mudança que tanto objetivava estava exatamente nas pequenas mudanças que eu desprezava. E foi por essa explosão de clareza que eu comecei.

Então, antes de mais nada, quero que seja bem honesto(a) consigo mesmo(a):

AO SE LEVANTAR PELA MANHÃ, VOCÊ ARRUMA SUA CAMA?

Você deve estar pensando: “MINHA CAMA?”. Sim, sua cama!

Eu, você, seu vizinho, seus amigos e todas as pessoas que vivem nesse planeta e estão conscientemente saudáveis possuem objetivos, o problema é que dificilmente essas pessoas os alcançam.

Apesar de uma dura realidade, todo e qualquer indivíduo possui seu mundo particular, e nesse mundo, tudo que você vê e aprende transforma-se em um paradigma, ou melhor, em um mapa pessoal que o conduz a construção dos resultados, inclusive os atuais.

Digamos por exemplo que uma criança aos oito anos de idade deseje aventurar-se em um balancinho no parquinho do seu bairro, ou jogar bola com amigos, um a dois anos mais velho do que ele (uma idade não tão distante da criança), era algo a ser visto como perigoso por seus pais pelo risco de cair ou levar aquela “bolada” na rosto, isso porque para os pais dessa criança a segurança sempre era a melhor escolha. Muito possivelmente, essa pessoa já adulta possua uma visão de que tudo aquilo que proporciona perigo deve ser evitado. Uma limitação voltado a desafios e a capacidade de arriscar-se. Com isso ela age como uma pessoa mais cômoda, reservada e até dependente de outras pessoas (esse é apenas um exemplo de um estilo de padrão possível) e consequentemente fará com que esse adulto tenha dificuldades em tomar decisões ou iniciativas que mudem sua vida.

Em outro caso, se essa mesma criança fosse criada de forma mais independente, onde seus pais o permitiram tomar pequenas escolhas, e ter responsabilidades sobre suas ações (mesmo com a baixa idade) ela teria uma grande chance de ter crescido e se tornado um adulto mais proativo e repleto de crenças fortalecedoras. Esses pessoas são mais focadas em seus objetivos, dinâmicas, amam desafios e não possuem problemas em correrem perigos.

Para esse processo chamamos de ciclo da realidade. Veja só:

Resultado de imagem para ciclo da realidade

Tudo que você já viu e vê alimenta seu senso de crença, e por sua vez, cria os paradigmas que definem suas escolhas e suas verdades. E assim, você passa a agir de uma determinada forma, praticando ações que justifiquem sua personalidade pré-criada (crenças, valores, conceitos de verdades) e claro, para completar o ciclo, você acaba construindo resultados sejam eles positivos ou não.

O bom de tudo isso é que podemos mudar nossos comportamentos, pensamentos e condicionar nossas ações para obter resultados melhores, chamo de PERFOMAR. Perfomar é condicionar suas experiências a fim de potencializar a percepção que você possui da vida, o que faria desenvolver um novo ciclo de realidade e consequentemente resultados.

Então, não adianta reclamar ou dizer que os resultados associados ao fracasso são culpa de outras pessoas, pois não são! São seus! Você tem a responsabilidade de mudar os resultados condicionando suas ações de forma que o fracasso o possibilite a aprender e o sucesso o guie a ir mais além!

Mas então, por que temos tanta dificuldade de mudar? Mudar nossas vidas, nossas ações, comportamentos. Eu te respondo!

O problema é que sempre achamos uma desculpa para tudo, como por exemplo, manter uma relacionamento amoroso que há anos vem se desgastando e que possui em seu cotidiano comportamentos violentos, seja esses com agressões físicas ou verbais. Nesses casos um dos parceiros, geralmente as mulheres (não vejam isso como machismo), quando sofrem algum tipo de agressão e buscam terminar a relação, acabam retomando a mesma com a “desculpa” de que o agressor ainda a(o) ama ou que simplesmente agiu de cabeça quente. O fato é que o MEDO, APEGO, SOLIDÃO, COSTUME agem como sabotadores para justificar a falta de ação ou manutenção da decisão que já havia sido tomada, nesse caso.

Ok, mas como me condiciono para realmente mudar? Lembra da pergunta que fiz no começo? (Não?! Então reveja lá). Esperando que você a tenha respondido de forma verdadeira, gostaria que você repetisse comigo a seguinte afirmação:

A simples atividade de arrumar minha CAMA é tratada com desprezo e de maneira secundária!

Agora troque a palavra “CAMA” por “VIDA”. Isso mesmo, vida! Volte lá e releia.

O que achou? Pesado? Verdadeiro? Meio sem sentido para você? Se quer pensar assim, pense. A verdade que faço questão que você saiba é que se desprezamos pequenas leis, desprezamos as grandes. Se falamos tanto em corrupção, por que aceitamos alguns tipos de “acordos” que nos favoreça? Se reclamamos quando perdemos a vez na fila, por que não cedemos o nosso lugar ao idoso ou a uma gestante?

Entende? Se simplesmente não mudamos nossos comportamentos nas atitudes mais simples, que exigem mínima ação, como poderemos realmente perfomar em outros pontos de nossas vidas como relacionamentos, carreira, qualidade de vida, financeiro?

O segredo está em desenvolver a disciplina da mudança, essa está associada aos hábitos que por sua vez são ligados a nossas experiências e senso do que é certo ou errado.

Talvez arrumar sua cama antes de sair para trabalhar (ou ao acordar), não signifique nada para você, mas esse comportamento diz muito sobre você. Afinal, é fácil fechar os olhos para coisas tão pequenas e desejar as maiores. A Cama é uma metáfora que uso por ser o mais próximo do início do seu dia, e seria um excelente inicio de rotina, mas claro que isso reflete como um todo, sua mesa do seu trabalho, sua sala, banheiro, suas roupas, seus livros… Outra analise de mudança seria no quesito comportamental como querer uma promoção no trabalho, mas atrasar por um dia o relatório que seu padrão pediu, ou quem sabe querer mais amor por parte de seu parceiro(a), mas não estar atento à felicidade dele(a) e no quanto de amor e dedicação você oferece. Talvez você queira vender mais, mas não se importa com o pós-venda, a satisfação de seus clientes. Tudo isso está próximo à você e a um segundo de atitude! Entende?

Bem, há um infinidade de exemplos, cabe a você analisar e aplicar no que realmente diz respeito a sua vida! Porém, uma coisa devo dizer, aquelas 3 pessoas que conseguem mudanças e atingem resultados extraordinários, começaram por pequenos padrões, desenvolvendo a disciplina e a mentalidade de que, os maiores objetivos são alcançados nas pequenas ações. Arrumar a cama é uma delas!

A mudança deve ser gradativa, um passo de cada vez, mas isso é um outro assunto que ficarei feliz em trazer para você!

Se esse artigo fez sentido, compartilhe com seus amigos! Vamos construir pessoas mais fortes e capazes de vencer e ultrapassar as maiores barreiras.

Forte Abraço e simboraaaaa!

Josafá Nobre

Artigo revisado por: Ieda Galvão

INTELIGÊNCIA POSITIVA

A inteligência positiva nasceu após um conjunto de neurocientistas e psicólogos testemunharem o nosso Cérebro em plena Ação, graças ao aparelho de ressonância magnética, o que despertou a curiosidade sobre as funções neurais e o desempenho junto ao sucesso ou fracasso do ser humano.

Após esse maravilhoso experimento científico, foi possível observar alguns comportamentos emocionais e suas reações. Estudos mais aprofundados, mostrou que o nosso desenvolvimento é composto por um vasto potencial que muitas vezes é limitado e em outras ilimitado devido ao fortalecimento do Q.P (Inteligência Positiva)

Bem, já não é segredo como o cérebro funciona, sabemos que o mesmo possui dois hemisférios sendo um o direito e o outro esquerdo, cada qual responsável por um comportamento que geralmente chamamos de Razão ou Lógico, e Emoção ou Intuição, conforme a representação abaixo:

1

Na inteligência positiva o mesmo é divido em SABOTADORES e SÁBIO, eu particularmente gosto de chamar do Anjo bom e o Anjo mau, pois é ai que surge aquela voz que nos diz, vai continua, ou simplesmente pare, espere, talvez você não consiga. Quem nunca se pegou falando consigo mesmo, “Cara tu é um fracote” ou “Nossa, você é capaz”, dessa forma esse auto diálogo intrapessoal pode nos empurrar por um caminho que não devemos seguir, mas achamos que é necessário prosseguir.

Em resumo, a inteligência positiva é dividida entre a mente que trabalha ao seu favor e a que trabalha contra você.

SABOTADORES X SÁBIO

A nível mundial o Ser Humano está sempre em pé de guerra, e sabe quem é o seu pior inimigo? Você mesmo!

E como isso é possível? Simples, nosso cérebro guarda um comando no subconsciente que são rapidamente acessados pelo nosso lado racional, a fim de preservar a nossa sobrevivência, o que é eficiente até uma determinada idade em nossas vidas, já que até pela falta do raciocínio “maduro” e “não saber” o que é certo ou errado, somos guiados por essas informações, guardadas como uma caixa, poderia até dizer que está em nosso DNA, localizada no que os neurocientistas chamam de ZONA SOBREVIVENTE.

Entretanto, após uma determinada idade esses comandos passam a nos prender no que chamamos de Zona de Conforto, sendo chamados a partir daqui de SABOTADORES, e para isso ele conta com um “Super Vilão” que fará de tudo para sabotar seu sucesso, a ele damos o nome de CRITICO.

Sabendo que o Critico sozinho não é capaz de arquitetar por completo o plano que o impedirá de alcançar seus objetivos, ele conta com parceiros que o fortalecerá nessa guerra e fará de tudo para lhe manter no seu estado cômodo, sugando sua energia de ativação e consequentemente o impedindo de realizar ação que mudará sua vida.

Por isso lembre-se:

Energia Gera ação, 

Ação gera poder 

E o Poder lhe permite ir além…

 

BENEFÍCIOS DO Q.P.

Sabe quando você fica sonhando com aquele projeto, ou aquela viagem, ou ainda com aquele emprego dos sonhos com um sucesso inigualável? Então, sabe dizer o porquê você ainda não os conquistou? O que lhe impede de ser o melhor ou atingir seu potencial máximo?

Vamos clarear, aprofundando um pouco mais!

Quantas vezes você quis iniciar algo e disse a você mesmo que esperasse mais um pouco?

Quantas vezes, você se fez de vítima, achando que tudo acontece só com você, que nada dar certo em sua vida?

Ou melhor, quantas vezes você parou…, pensou…, viu que estava tudo certo, mas teve que reanalisar tudo daquele projeto ou daquela decisão que talvez mudasse sua vida?

Advinha, você está sendo sabotado por você mesmo através do Crítico e seus comparsas! Ops, cúmplices…

Como um câncer, os sabotadores agem de maneira lenta e silenciosa, quando menos espera, você já está em suas garras, amarrado e acorrentado em crenças e valores que não lhe contribuem em nada, mas limitam seu potencial e tiram de você o prazer de desfrutar uma vida extraordinária, que poderia ser moldada para ser vivida com toda intensidade e percepção que se pode ter do mundo.

Daí a necessidade do fortalecimento do Q.P., quando você passa a compreender a necessidade de ativação da Inteligência Positiva, passa a dar espaço para o grande herói que habita em você mesmo, chamado de O SABIO (Uaal).

Com o fortalecimento do Sábio que é o individuo, ou melhor: você, eu e todos os que querem uma vida extraordinária, passam realmente a descobrir o seu potencial e ter percepções sobre os benefícios de uma vida sadia e positiva, construindo não somente um base sólida capaz de aguentar qualquer dificuldade, como também a capacidade de envolver as pessoas a nossa volta, contribuindo para um mundo melhor e mais fácil de viver.

Dessa forma, o fortalecimento do Q.P. auxiliará em diversas áreas de sua vida, entre elas:

  • Construção de Equipes mais eficientes e produtivas;
  • Equilíbrio entre Trabalho e Vida;
  • Criação de Filhos;
  • Melhoria das habilidades pessoais e profissionais;
  • Resolução de Problemas Complexos;
  • Descoberta de Significado e Propósito;
  • Trabalho e Convivência com pessoas Difíceis;
  • Saúde e Dieta;
  • Gerenciamento de Estresse;
  • Desenvolvimento de outras pessoas;
  • Outras aplicações.

 

FORTALECENDO O Q.P

É necessário que seja enraizado em você que vivemos uma batalha constante e interna, o que faz necessário nos armar e traçar estratégias para conseguirmos nossa liberdade e assim uma vida extraordinária.

Qual seria sua primeira ação para poder ter qualquer chance de vitória em uma batalha?

Para quem respondeu conhecer o inimigo, está totalmente certo!

Um grande Autor da Inteligência positiva o SHIRZAD CHAMINE, por sinal colega COACH, conseguiu catalogar em seu livro INTELIGENCIA POSITIVA, os principais sabotadores que junto ao Crítico tentam impedir nossa fuga da ZONA DE CONFORTO, que por sinal de conforto não tem nada, e dar o primeiro passo a uma vida de realizações.

Mas vamos lá conhecer nossos vilões e como eles nos sabotam:

  • O CRÍTICO: Sabotador principal, o que de fato afeta a todos. Sua missão é encontrar defeitos em si mesmo, nos outros e nas suas condições ou circunstâncias. A maior parte de sua ansiedade, estresse, raiva, decepção, vergonha e culpas são geradas por ele. Sua mentira é que você é o dono da razão e sem isso você não é capaz de atingir o que deseja! Mas sabemos que ele não quer que você atinja!
  • O INSISTENTE: Ele vem até você com a necessidade de perfeição, ordem e organização geralmente ao extremo. Sua missão é deixá-lo Ansioso e Nervoso, desta maneira consegue drenar suas energias ou a dos outros em sua volta com uma necessidade extrema de perfeição; Ele procura enganá-lo dizendo que perfeccionismo é sempre muito bom, quando na verdade, às vezes é melhor algo feito do que bem feito (Faz sentido?);
  • O PRESTATIVO: Ele age como uma forma de você ganhar aceitação e afeição ao ajudar, agradar, salvar ou elogiar o outro constantemente. Sua missão é fazer você perder de vista suas próprias necessidades, fazendo-os acreditar que está agradando ao outros porque é o certo. E suas necessidades, seus cuidados, seus sonhos onde ficam?
  • O HIPER-REALIZADOR: Ele procura influenciá-lo dizendo constantemente que se você não estiver a todo instante mostrando desempenho e realizações não terá respeito e nem validação própria. Sua missão é propiciar trabalho ou atividades constantes que possam levá-lo ao sucesso fictício, quando na verdade lhe distancia da real felicidade. Olhe um pouco a sua volta, será que você não deveria ser grato por tudo que já possui nesse momento?
  • A VÍTIMA: Ela influencia a ser temperamental e/ou emotivo a fim de buscar atenção ou afeto. Sua missão é desperdiçar suas energias mentais e emocionais, fazendo com que os outros a sua volta sintam-se frustrados, dizendo que você deve assumir a figura da vítima para poder atrair atenção para si mesmo. Será que atenção que você deseja não seria mais bem notada com sua autoestima?
  • O HIPER-RACIONAL: Esse sabotador coloca um foco intenso e exclusivo no processo racional de tudo, incluindo relacionamento. Sua missão é lhe cegar sobre as necessidades emocionais do outro, por se achar indigna de tempo ou considerações, podendo fazer você ser visto como: frio, distante ou intelectualmente arrogante. Será que essas são qualidade pelas quais deseja ser lembrado?
  • O HIPERVIRGILANTE: Sabe aquela ansiedade intensa e contínua em relação a todos os perigos que cercam você e em tudo que você pensa que poderia dar de errado? Pois é esse rapaz ai! Sua missão é provocar uma grande quantidade de estresse tentando lhe convencer que a melhor maneira de lidar com os perigos ao seu redor é ficar de olhos bem abertos. Seria importante para você viver e aproveitar os momentos ao invés de pensar no que nem pode vir a acontecer?
  • O INQUIETO: Leva você a busca incansável por emoções maiores ou tentando lhe manter sempre ocupado, esse sabotador lhe proporciona muita paz e alegria na sua atividade atual! Repare que eu falei na atual, ou seja, ele tira o seu foco do todo e das coisas que realmente importam, pois essa é sua missão. E como fica a vida que passa em sua frente?
  • O CONTROLADOR: Esse sabotador provoca em você uma necessidade extrema de se sentir no comando constantemente! Sua missão é tirá-lo energia e provocar ansiedade. Apesar de gerar resultados rápidos, ele faz com que as pessoas se afastem e fiquem com ressentidas com elas mesmas. Nem tudo que está em nossas mãos deve ser controlado, mas vivido! Faz sentido?
  • O ESQUIVO: Bem positivo, mas faz com que você evite tarefas difíceis e desagradáveis! Sua missão é fazer você procrastinar e evitar situações novas, diminuindo seu rendimento fazendo com que atrase trabalhos ou ações essenciais ao seu crescimento. Vai continuar prolongando seus sonhos ou começar a vivê-los?

Agora que você conhece cada um dos SABOTADORES, fica mais fácil você identificá-los em seu dia a dia, acredito que durante o processo de conhecimento você já deve ter se identificado um pouco com cada um, mas claro existe aqueles que são mais fortes em você. Para descobri-los poderá acessar o link no final desse poste e fazer o teste gratuitamente e assim conhecer de maneira mais próxima seus inimigos.

O segundo passo é saber sobre qual influência você está mais propício durante o seu dia para enfrentar seus desafios e superar seus obstáculos, você utiliza mais o SÁBIO ou os SABOTADORES, para isso deixo um link com outro Teste que o ajudará descobrir seu nível Q.P.

Antes de realizar o teste, você deverá saber que, uma pessoa que tenha seu Q.P. fortalecido ele terá uma pontuação de 75 pontos ou superior, o que significará que em 75% do seu dia ou das situações que direta ou indiretamente você participa, sua reação é com o uso do SÁBIO.

Mas calma, se a sua pontuação não atingir os 75 pontos, o que é muito provável que não aconteça, você deverá a partir de agora tomar ações de fortalecimento do Seu SÁBIO e transformá-lo no herói que construirá sua vida extraordinária.

FORTALECENDO O SÁBIO

Agora que você conhece seus sabotadores, você terá o mapa para fortalecimento do seu sábio, pois saberá definir quais são as suas mentiras e como superar suas limitações. Lembre-se que os sabotadores, sugam suas energias e provocam sensações ruins e desgastantes até a sua performance e é claro, para realização de seus sonhos.

Bem, vamos deixar de enrolação e partir para ação? Ok! (Olha o sábio ai aparecendo!).

Existem algumas técnicas e processos que você poderá realizar para ativar o seu Sábio e assim construir evidentemente um fortalecimento do seu eu, um deles é o próprio processo de COACHING individual ou o processo de TEAM COACHING UP, como também o uso de algumas técnicas simples que terei o maior prazer em apresentar, vejamos algumas que você poderá começar agora:

  1. TENHA EMPATIA: O ter empatia refere-se ser empático consigo mesmo, respeitando seus sentimentos e sonhos. Lembra-se quando tinha 8 anos de idade, o que lhe fazia feliz? Como era seu sorriso, o quanto você vibrava ou imaginava sendo um super-herói? Lembra como tudo parecia ser possível?
  2. EXPLORE: voltando a sua idade de 8 anos, lembra como você ficava fascinado com novas descobertas por mais simples que elas fossem? Pois é, resgate novamente essa fascinação, deixe entrar novos conhecimentos, experiências e sensações. Afinal, você pode fazer a mesma coisa mil vezes, mas sempre será algo novo. Procure ver a beleza do local por onde você passa a textura da pele da outra pessoa que você conversa ou até a cor dos olhos. Sabe o que vai acontecer? Também não vou contar! Quero que você viva essa experiência única.
  3. INOVE: Procure sempre dar continuidade a suas ideias, seus sonhos! Ou seja, vá sempre além das possibilidades, aceitando-se e claro, explorando possibilidades positivas. Um exemplo: Ah, seu eu pudesse viajar para o exterior! Sim eu posso viajar para o exterior e aproveitaria as oportunidades para conhecer os principais cantos turísticos e relaxar. Sua vez tente agora!

Com essas 3 dicas simples e aplicáveis ao seu cotidiano e a cada momento de sua vida, automaticamente você passará a dar poder ao seu SÁBIO, livrando-se dos seus sabotadores, mas claro que não por completo, entretanto diminuirá a ação deles em sua vida e construirá uma ponte segura entre você e seus objetivos.

INTELIGENCIA POSITIVA X DESAFIOS

Creio que até agora você já despertou seu Sábio de uma forma significativa, e que já conseguiu entender a essência da Inteligência positiva para sua vida, o que me faz perguntar:

 

ESTÁ PRONTO PARA VIVER UMA VIDA FANTÁSTICA?!

Seus desafios são meros obstáculos que apenas o fortaleceram nessa jornada de conquistas e realizações.

Junto a sua Inteligência positiva você torna-se capaz de ir além, muito além de suas próprias capacidades, apresentando-se ao novo e ao um mundo de possibilidades!

Passe a viver essa experiência única, junte-se a nós e construa em sua vida a ferramenta que sua empresa, seus negócios ou sonhos necessitam para alcançar e obtenha os melhores desempenhos já imaginados por você, talvez nem imaginados ainda, mas todos possíveis!

—-

Links para testes:

TESTE DE INTELIGÊNCIA POSITIVA

É isso, espero que tenha curtido esse poste e possa clarear sua vida e ações! Vamos juntos viver e alcançar todas as possibilidades possíveis e impossíveis.

Forte abraço!

LOGO_2018_FUNDO BRANCOpng